quinta-feira, agosto 31, 2006

Vamos sofrer lá no meu apê?

Um tio meu, lá de Santo Antônio da Patrulha, costumava dizer que amizade é vício. E ainda tinha a pachorra de explicar que a doença começava na simpatia, da raiz grega synpathein, algo parecido com “sofrer junto”. Ser amigo dói e faz doer? Confesso que eu, mesmo cultuando a genialidade desse meu tio, não conseguia digerir completamente o conceito, apimentado demais para um mero iniciante no mundo das drogas emocionais. Turbinado pelo meu bando e protegido pela minha turba, eu ainda era incapaz de avaliar os terríveis efeitos colaterais produzidos pelo hábito de compartilhar as dores da tribo.

Agora, vamos aos phatos, como diria, carregando no sal, aquele meu tio. Pense na expansão global de todos os tipos de bordéis e diga se não é verdade que esse sucesso estrondoso nasce da busca do prazer no contato descompromissado com estranhos, inimigos e indiferentes. Seria a prostituição nas relações uma forma de fugir das simpáticas criaturas pelas quais nos doemos de graça? O que vendem os barões da felicidade? Amigos, amigos, negócios à parte, não damos um tostão furado para os coitados que conhecem a nossa face sofredora, a não ser quando eles inventam de adoecer. E, pior, quando se vão sem obedecer o pacto de morrer todo mundo abraçado.

Hoje, depois de uma desabalada sucessão de janeiros, vejo claramente que, assim como esse meu tio de Santo Antônio da Patrulha, venho me entregando gostosamente ao vício de sofrer em grupo. Viver dói, o mundo é cheio de arestas e em todo canto existe uma quina pronta para saltar sobre a sua canela. Por isso, continuo cultivando uma sábia burrice: mais triste que levar no lombo junto com os amigos, é ser feliz em má companhia.


é de quem não pegar

tanta coisa Deus dá
tonto fico observando
desisti de pegar

se dou-me uma folga pra pensar
esse muito que cai do céu
eu tento, mas não sei abraçar

cada sonho em seu lugar
Deus dá demais
fico com o que deixo passar

algo, se me cabe, gruda sem pesar
sobras, descansem em paz
amigos, nada a separar

(Roberto Prado)

8 comentários:

doris disse...

o ministério da saúde adverte:
roberto prado pode fazer muito bem a sua saúde. e vicia!
bj

+ malocas disse...

Com este empurrão, só dá pra começar bem o dia.

Fraga disse...

A sensação mais comum - pero no ordinária! - ao ler você é a de "assinar embaixo". Como agora.

Haroldo Machado disse...

Nossa!!! Além da chuva..., o Roberto...Esta sexta vai muito bem.
Obrigado.

polacodabarreirinha disse...

Brilhante, Beco.

Anônimo disse...

feliz aniverçário atrazado.
p.ç: finarmenti vortei aas internetis.

Bitten disse...

em Deus teu abraço!

Profunda estima.

roberto prado disse...

APONTAMENTOS EMOCIONADOS SOBRE OS COMENTÁRIOS SEM COMENTÁRIOS DOS MEUS AMIGOS

1) Doris: minha virtude é ser seu vício.

2) Abençoadas sejam as manhãs dos maloqueiros.

3) Fraga: a sua assinatura é a minha sina.

4) Haroldo: você não via que eu chorava porque chovia (marcos prado e thadeu).

5) Thadeu/Polaco: prometo, no mínimo, continuar pegando no breu até brilhar.

6) Adriano: o véio Beco agradece. Que bom que você voltou.

7) Bitten: seu abraço vem de Deus, pois aproxima sem prender.