domingo, janeiro 07, 2007

Fazendo chouriço com o próprio sangue

Beto Trindade, parceiro deste e de outros, diante de uma cerveja tcheca.


gentileza

maravilha
essa vida é uma uva
mesmo à pé
sem dinheiro, na chuva

ora viva lua estrela flor
samba

maravilha
só me sobra alegria
me maltratam
eu respondo bom dia

ora viva manitu pã ogum alá
krishna

agradeço
esta terra querida
só me enxotam
quando estou de saída

ora viva cor sabor amor
clima

(Roberto Prado e Beto Trindade)

4 comentários:

Anônimo disse...

Aí Trindas, cê tá muito Trindade nessa foto.;-))

Muito bom o poema, beijos e saudade
Iara

roberto prado disse...

Iarinha:

Concordo e digo mais: esse é papel que o cara faz melhor. E a gente aplaude.

Beijos pra você também e ainda bem que saudade tem cura, né?

Anônimo disse...

A saudade é dor pungente morena/ A saudade mata a gente morena... Lembra desses versos Beco? ;-)

Beijos
Iara, por enquanto, nossa saudade ainda tem cura;-)))

polacodabarreirinha disse...

Becão:




Oi!

Dia 22, segunda-feira, às 21 h, no Polaco da Barreirinha, estréia a nova novelha
O DIA QUE MATEI O WILSON MARTINS.
Peço a tua ajuda na divulgação. Com uma pequena ajuda, vamos quebrar todos os recordes
de comentários e visitas.

Grande abraço


Thadeu