segunda-feira, fevereiro 05, 2007

O sangue e o batuque


no batuque do coração


rimo rindo
rimo porque sim

rimo indo e vindo

quanto mais rimo melhor

rimo sim e daí?

vivo porque rimo

se rimo amanhã saberei

rimo sempre

rimo uma eternidade

rimo porque morri

confesso que rimei

rimo porque em verdade

em verdade eu sei

que mesmo naquele dia

se a rima me faltar

rimarei

tantã

por fora
por dentro e entre
pela vida afora
e antes
hora após hora
por exemplo, agora,
eu rimo sempre

dono de batuque nato
às vezes bato fraco

nenhuma razão para dor
nenhuma razão de orgulho
somente mais uma canção
apenas mais um coração
fazendo barulho

(Roberto Prado)

8 comentários:

carlos careqa disse...

Adorei o poema da Rima, já tem música???

roberto prado disse...

Grande Careqa.
Legal que você gostou. Esse é um dos que ainda não tem música, esteja à vontade. Outra coisa: você me manda a Volta Triunfal de novo? Aquela versão anterior sumiu da máquina por um problema de BIOS (Baita Ignorante Operando o Sistema).
Abração!

Bitten disse...

Beco,
que bata e bata até que esse bater se faça a bata de um eco.

Carinho

roberto prado disse...

Vamos batendo, Bitten, vamos batendo, até derrubar as Muralhas de Jerico (assim mesmo, sem acento). Manifestações assim, vindas de quem vieram, me deixam cardiologicamente acelerado. Tudo de bom, rapaz.

Anônimo disse...

Beco, me passa o tel do Thadeu ou o endereço comercial por email, quero bater um papo com o polaco.
Abraço.
jpraga@terra.com.br
julio Garrido

roberto prado disse...

Vou mandar e é meio pra já.
Abração, Júlio.

carlos careqa disse...

recebeu a musica???

roberto prado disse...

Chegou e chegou bonito.
Obrigado pela velocidade da resposta.
Valeu, Careqa!
Abração.