sábado, abril 22, 2006

Para as velhas e boas novas aventuras

A volta triunfal

aqui vamos fazer nossa casinha
ali a fábrica não ficará muito longe

uma escola com vista pra montanha

e o templo sem imagem nenhuma

desta vez não vamos sujar o rio
nem inventar leis desalmadas
apenas novamente simples heróis
descobrindo mundos, trocando fraldas


(Roberto Prado)

15 comentários:

Antonio Thadeu Wojciechowski disse...

Mais um daqueles de aplaudir de pé.
Esse poema em especial, Beco, me faz pensar em toda trajetória humana sobre a Terra, mas, também, e, principalmente, nas relações familiares tão bisonhamente falidas, onde a lei é ter ou não ter. Tomara pudera quisera a volta triunfal o mais rápido possível.
E, junto com ela, teu livro, com a luz que tanto precisamos.
Grande abraço

Fraga disse...

Roberto, queria dizer algo belo e profundo.
Mas o Thadeu já embelezou e aprofundou antes.

carlos careqa disse...

to musicando a volta triunfal... posso>???

roberto prado disse...

Thadeu:
No fundo é tudo muito simples. Mas para chegar ao fundo é complicado. Melhor é simplificar de uma vez!
Também estou com certa pressa de lançar o livro. Travessa dos Editores, quando sairá? Abração

roberto prado disse...

E o Flagra sempre com a velha e boa elegância de sempre. Não se preocupe. Já disse tudo.

roberto prado disse...

Pô, que bacana,Careqa!]
Fico orgulhoso, feliz e estragado de tanto mimo.
Se pode?
Demorou...
Estou ansioso para receber o MP3 com o seu/nosso novo rebento!
Abração, cara.

claudiabecker disse...

Lindo poema Beco,

pena que para começar a levar a teoria a sério teríamos que nos desfazer também desse nosso brinquedo virtual. Ser simples tem muitas complicações. Como disse o Thadeu, tomara pudera quisera tivessemos a força para começar.

Grata pela reflexão, apesar de muito frustante

Grande abraço

roberto prado disse...

Sei lá, Cláudia, deixo sempre espaço para uma dúvida razoável. Mas desconfio seriamente que a tal da simplicidade não implica necessariamente em se desfazer de coisas, mas de sentimentos (significados)a respeito delas, do peso que damos às coisas ao deslocar nossas imensas carências para esses pobres objetos indefesos Creio que daí vem o abuso, inclusive e principalmente dos nossos pobres semelhantes. Mas eu sei e você sabe que tem essa força. Você já enfrentou muitas barras e provou.
Grande beijo!

roberto prado disse...

Pessoas: o Carlos Careqa fez uma canção maravilhosa com a Volta Triunfal. Ouvi o MP3 e olha que ele diz que era apenas o começo! Emocionante. Valeu Careqa.

Oswaldo Rios disse...

Mas, apesar da canção do Careqa, posso continuar declamando "A Volta Triunfal" em nossos shows, Beco?
Aliás, fiquei curioso com a canção. Ei, Carecone, libera pra galera. Pôe lá no purevolume.
Abração,
Oswaldo.

carlos careqa disse...

Ei não é bem assim. Eu só libero aos poucos. Essa cria ainda tá desmamando. abraços.

Oswaldo Rios disse...

tava brincando, Careqa, sei como são as coisas.
Fizemos um arranjo pra música "Valeu" do Leminski e, na introdução da apresentação ao vivo, digo esse poema. Foi sucesso na abertura do Show do Baleiro no Guairão quando eu disse o nome do poema e do poeta.
Agora o Beco me vem com essa novidade e eu, quase de brincadeira, quis saber se ainda posso continuar fazendo o que fazia mesmo que, agora, ele tenha virado canção.
Esperemos, então, até que ele esteja desmamado.

Um abração,
Oswaldo Rios.

p.s. e obrigado, Beco, por emprestar o sofá da sala pra esse papo rápido com o amigo distante.

roberto prado disse...

Oswaldo, quero crer que o Careqa, ao reclamar sobre o desmame da música estava respondendo sobre a questão de expô-la no Puro Volume e não do fato de você recitá-la no show. É isso, Careqa? Eu, pelo menos entendi assim. Mas,para simplificar as coisas, como o próprio poema diz, podemos fazer o seguinte. Você continua dizendo o poema normalmente, como sempre vem fazendo. E tem mais: depois de escutar a música do Careqa, você vai querer cantá-la logo em seguida, pois ela combina com a jogada. É só esperar o grande Careqa considerá-la bem acabada.

Anônimo disse...

hehehehe, também entendi assim, Beco.
Foi um exagero considerar o PureVolume.
E é claro que entendo o desmame.
E, também é claro, que eu sei que poderia recitá-la no show, ainda que já houvesse virado canção.
do, ainda, curioso
Oswaldo Rios.

roberto prado disse...

Oswaldo: tanto saquei que você tinha sacado que acabei enchendo o saco. Vamos dar um jeito de saciar essa sua curiosidade. Abração!