segunda-feira, abril 10, 2006

Três poemas do livro novo


Hoje eu vou deixar vocês com alguns poemas do Apenas mais um coração fazendo barulho, um livro que estou tramando e deve estourar logo por aí. Não façam cerimônia. Eles são de casa.



uma letra


puxe um silêncio do estoque

e deixe a letra bater

chame um batuque exato

para o silêncio dançar

puxe

chame

dance

e deixe

evoque que vem

no espírito da letra

todas as letras

que o silêncio tem


(Roberto Prado)


descascando cebola


dentro do dentro

no meio do miolo

nas profundas do centro

do núcleo de tudo

é ali, no fundo, no fundo,

que habita você

minha alma doutro mundo


(Roberto Prado)



vim, vi e inventei


Nem sempre há o em frente.

O nunca, de hoje em diante,

são passos pra todos os lados

em direção ao mesmo diferente.


Pedaços de mau caminho,

esfinge que nem me vê:

a partir daqui só siga quem sabe

voltar sozinho.


(Roberto Prado)


10 comentários:

MICHELLE DE LAS MERCEDES disse...

MUY LINDOS POEMAS .

BESOS

MICHELLE

roberto prado disse...

Bons Ares a tragam sempre por aqui, Michelle. Beijos pra você também.

Anônimo disse...

muito bãos, beco. eçe da çebola intão, é di fazer chorar...

roberto prado disse...

O Adriano sempre lendo além.
Cara, por falar nisso, esses dias eu li que inventaram uma variedade de cebola que não faz o caboclo chorar. Falta o alho sem cheiro. E a pimenta que não arde. Sabe lá.

Abração!

Anônimo disse...

Aqui é melhor que no Thadeu...

Ruga

Anônimo disse...

Sensacional...
Abestalhador...
revigorante!!!

Rodrigo

Marilda disse...

Que lindos, Roberto. Pensei que só eu gostasse de descascar cebolas.
"Já te falei sobre as raízes das cebolas, filho? São tão frágeis... Sua força não está na raiz, filho. Está na cabeça. Sabe pra que servem as camadas da cebola? Pra proteger o coração. Sabe onde fica o coração da cebola, doutor? Na cabeça. Para se chegar no coração da cebola, é preciso chorar, meu filho..." pedacinho de uma crônica minha. http://proesiando.blogspot.com/2006/04/receita-caseira.html
Beijo
Marilda

roberto prado disse...

Marilda:
muito saborosa a sua crônica acebolada. E verdadeira. De coração. Vou lá, para conhecê-la por inteiro.
Beijo

roberto prado disse...

Ruga: quem mandou não estudar? Aí você teria vindo direto para cá. O que é que o Thadeu anda aprontando lá no Polaco da barreirinha? Está maltratando os leitores? Ou é um problema carmático? Seja bem-vindo. E não cometa um novo pecado com o Polaco deixando de visitá-lo. Ou o carma volta.
Abração.

roberto prado disse...

Olha o Rodrigão aumentando a responsa.

Tomara que eu consiga sustentar esse ritmo forte, frenético e penetrante em todo o livro.

Pra merecer tamanho carinho dos amigos.