domingo, janeiro 28, 2007

Yes, nós temos Miran


Osvaldo Miranda, o Miran, é uma lenda viva das artes gráficas curitibanas. Ele, o Solda, o Rettamozzo, o Marchesini, o Rogério Dias, a Iara Teixeira e outros cobrões, trabalhando juntos, trocando figurinhas, botando o bloco na rua, criaram um padrão de excelência e um ambiente criativo que beneficiou muito a rapaziada mais recente. Abaixo, um orgulhoso exemplo, que tenho a soberba de relembrar, de um trabalho que tive o prazer de dividir com o mestre Miran (cuja edição ele, inclusive, viabilizou). Para ler o texto junto com a arte, clique aqui.

7 comentários:

José Rodolfo disse...

Como diria Solda, Ouiés! Eu sou fã de Poe, e essa paródia/brincadeira, seja lá o que seja, é muito legal! Como pode, um cara, há dois séculos atrás nos influenciar tanto? O considero um dos melhores contistas (mas não podemos levar a minha opinião muito a sério, afinal em matéria de literatura eu aindo ando por "desertos abismais").

De verdade, muito engraçado, inteligente e divertido. Acredito que se foi uma homenagem, com certeza, a idéia foi alcançada com êxito exemplar! Viva Poe! E Viva Miran (esse grupinho hein?, Retta, Miran, Solda, depois dessa passagem na Terra, Nunca Mais!)!

roberto prado disse...

Beleza, José.
A idéia foi fazer uma versão como se o Poe estivesse escrevendo O Corvo hoje em dia. Esse poema saiu também numa edição especial só de traduções do poema em português e francês, junto com outras versões, do Machado de Assis, do Fernando Pessoa, do Baudelaire... E nós no meio, ficou engraçado. Mas, como diz o Solda, se não for engraçado não tem graça.

Concordo com você que o Poe é o cara no conto. Ele abriu uma trilha que clareou para a rapaziada posterior.

Grande abraço!

José Rodolfo disse...

Edição especial? Interessante. É possível encontrá-la? Gostaria de ler mais versões de grandes escritores sobre as obras de Poe.

roberto prado disse...

José:

O nome do livro é O Corvo, saiu pela editora Expressão, de SP, uma bela edição, coordenada pelo Marcelo Tápia.

Tem o texto original em inglês, duas versões em francês (Mallarmé e Baudelaire), as traduções em português, além do genial texto "Filosofia da Composição" do Poe e "Quem foi Edgar Allan Poe", do Leminski.

Talvez entrando em contato com a editora você consiga achar o livro.

Ligia K disse...

Beco, um beijo pra vc e a Liliane. Saudades de vcs.

roberto prado disse...

Queridíssima Lígia:

Que bom você por aqui. Também estamos saudosos. E cuidado aí com os buracos do Metrô!

Beijos

Anônimo disse...

Oi Bequinho!

Tem como a gente adquirir uma cópia como
essa que você postou no blog?

Beijos
Iara