sábado, abril 01, 2006

Marcos Prado e Trindade no inglês da rainha


Pouca gente sabe que o Marcos Prado deixou poemas em inglês, escritos em parceria com o Beto Trindade. Hoje, remexendo o ontem de uma gaveta, achei este sobrevivente da safra seleta das aventuras da dupla na língua de Yeats. Então, divido com vocês a preciosidade. Os outros da série, só por obra e graça do Santíssimo Trindade: está nas mãos dele. E, para quem, como eu, não entende picas de inglês, fiz a versão que segue logo abaixo do original.


An old love


I don’t want to know your age
Cause we speak the same language

I raise your dress up to your neck
You pull down my pants and find the Jack

It doesn’t matter you are old

I can smooth out all your folds

Your groans are just like a wolf’s howl
And when you come, that’s the carnival

(Beto Trindade e Marcos Prado)

Um amor velho

Não quero nem saber quantos anos você soma
Agora que nossas línguas falam o mesmo idioma

Eu ergo seu vestido até o gorgomilo, de surpresa
Você abaixa minhas calças e topa com o pé-de-mesa

Não dou a mínima que você seja uma velha
Posso até alisar suas rugas, se me der na telha

Seus gemidos são o uivo do lobo mau
E quando você goza, vovó, é o carnaval

(Beto Trindade e Marcos Prado, tradução de Roberto Prado)

24 comentários:

Anônimo disse...

Caramba!
Cara do caraças!
Demais teus posts e o que escreves!
Teus pensamentos tão bem amanhado são simplesmente fabulosos.
Parabéns!
Adorei!

Anônimo disse...

today
is a lie's day
yes day
'cause it's mine
and i do
when i want

ô beco. me deu um çúbito e eu iscrevi esse trosso aí mas cumo eu nun çei ingrês, tô pedino pro ce traduzir preu çaber o qi qi eu iscrevi. podi çer?

chiphead disse...

Hahaha, muito boa...

edilson del grossi disse...

duca essa tradução, principalmente a parte do gorgomilo

roberto prado disse...

Que bom que você gostou, anônimo (a) do primeiro comentário, que veio de longe para deixar seu carinho. Obrigado e volte sempre, que será sempre muito bem-vindo (a).

Adriano (do estilo inconfundível do segundo comentário, percebam vocês), pode terceretza que colocarei toda a minha mediunidade e o meu mal jeito com as línguas estrangeiras a serviço da tradução do seu novo poema. É só ter um pouco de paciência com o véio.

Obrigadão, ChipHead, eu também estou rindo até agora das diabruras deste dupla infernal.

E, finalmente, com muito orgulho, recebo a visita ilustríssima do grande artista Edilson Del Grossi que, vivo como ele só, emigrou para SP. E aproveito a ocasião para pedir: Edilson, você tem na máquina as suas parcerias com o Marcos? Têm coisas geniais e eu não as tenho aqui comigo. "Eu não quero nada com você" e outros que tais. Coisas finas. Manda! Abração, cara.

Oswaldo Rios disse...

Beco,
Sen-sa-cio-nal!!!
Nada como uma rica tradução para um já riquíssimo poema de seu irmão em parceria com nosso Santíssimo Trindade.
E, agora, tô no aguardo da tradução para o poema do Sátiro.
baita abraço,
Oswaldo Rios.

roberto prado disse...

Esse é o grande compositor, cantor e pesquisador (de verdade) Oswaldo Rios. Fico feliz de você ter gostado, Oswaldo. E quanto ao poema do Sátiro, espere e verá!

Abração para você também.

rkjazz disse...

lindo. tem mais em inglês? bota aqui pra gente curtir. O Marião botou lá no blog dele. abraço cara.

Flávio disse...

boa, beco! hahahaha! a versão é ainda melhor que o original! brilhante!

roberto prado disse...

Os caras são bons mesmo, Rkjazz. E tem mais, sim, uma série da pesada da dupla Marcos/Trindade. Vou apelar ao Trin, que é quem está com os originais, para liberar os textos.

Flávio, bondade sua, eu só ajudei a extrair a lusofonia da anglosaxonia. Legal que você gostou. Isso me inspira a trazer esse livro do Marcos e do Trindade à tona. Merece!

trindade disse...

Bela tradução, Beco. Esse aí faz parte de uma resma de coisas que eu e o Marcos fizemos e perdemos na madrugada. Da safra em inglês eu me lembro de alguns. Outros os Missionários e o Beijo aa Força musicaram e a maior parte o Edu K e o Edson de Vulcanis dividem a culpa da perda. Umas correções: está faltando a palavra 'your' no primeiro verso entre 'know' e 'age'. O quarto verso nós mudamos pra 'you pull down my pants'. Acho que havíamos usado a palavra 'stoop' antes só porque é poots ao contrário.

roberto prado disse...

Correções feitas. E que tal fazermos uma grande busca a esses textos? O que o Beijo aa força musicou foi apenas o "since" (que eu já tenho cópia), ou tem mais algum com eles? E os Missionários, quem saberá? Os que você tiver, por favor, mande. E o Edson de Vulcanis que se manifeste! O Edu K, que eu saiba, nega que tenha perdido, diz que, torrado, confiou a pasta a alguém (Edson ou Marcos, sei lá). Enfim, sei lá, o negócio é recuperá-los.
Abração!

rkjazz disse...

que bom que tem mais. tenho uns discos do Trindade aqui que eu acho du caralho (maconha samba dub/e o melhor do bom do Trindade). e essas histórias aí da pasta perdida? porra, parece que rende um livro isso. abraço.

trindade disse...

Quem sabe dos Missionários é o Cabral.

roberto prado disse...

Boa idéia, rkjazz. Rende um livro com os poemas e mais a história do sumiço e recuperação dos originais. O Trindade dá a dica e se o Alex Cabral estiver ouvindo, que ajude a montar esse quebra-cabeças mandando os poemas que estão nos arquivos implacáveis dos Missionários.

Fraga disse...

Clap! Clap! Clap!

roberto prado disse...

Fraga: clapclaps devidamente transferidos para o Marcos, na dimensão vizinha e para o Trindade, na distante Londres. Abração!

Anônimo disse...

in when i remember (enquanto eu me lembro) tem aquela do "pressure on chimney off the light house..." and cetera (et cetera). qe eu acho qe é do marcos e do edirço e mayrbe (tarvez) trindadi tumém. ô edirço, talk there (diz aí).

roberto prado disse...

Edilson e Trindade, aí está o Adriano Sátiro passando serviço pra vocês. Lembram dessa? Mandem!

Anônimo disse...

Saudade do Marcos do beco e do Trindade!!

duca

Rodrigo

Anônimo disse...

tem uma do pos meridion e outra do missionarios no lp vampiros de curitiba. Vou procurar...

O resto dos originais das letras os caras ( Marcos, Trin e Edson ) deram as pro Edu K., que cagou pro negócio e perdeu tudo.

Rodrigo

trindade...liga o skype!!!

roberto prado disse...

Legal, Rodrigão. Quando a gente recuperar tudo, vai ficar um livrinho supimpa. O Trindade lembrou de mais um, o da mulher Neandertal. Logo logo eu coloco aqui no blog. Abração.

Trindade: liga o skype!

marilda confortin disse...

Yes!Yes!Yes... Em nome das "véias", agradeço esse poema gozado, Beco!

roberto prado disse...

Marilda: o véio Beco, já duas vezes avozinho, agradece.