sexta-feira, março 02, 2007

Uma dupla de matar a mãe do guarda

Edson de Vulcanis: assombroso talento









Marcos Prado: o ritmo da sutileza

É fato: Marcos Prado e Edson de Vulcanis escreveram juntos alguns dos mais belos poemas do orbe oval que os meus pés tocam. Para você ver e comprovar, selecionei algumas gemas da dupla, pura delícia, para deleite das boas almas.


ação entre amigos
vamos à churrascada de empalamento do padre estuprador, meu amor
vamos ao coquetel de linchamento do rubem fonseca, meu amor
eu já matei o escritor, matei inês
antes que talhasse o sangue do freguês



bercinho boiando no rio grande do sul
o farofeiro feio brilhava à beira de um luau
ouvindo solos de clarineta de seu pai

atocaiando jacarés e fazendo onda no mar de merda



o bêbado saldável
quando eu morri
meu pai tinha três anos

o saldo da minha alma está em retalhos

e o meu corpo em liquidação

sou vítima de uma bala perdida do antônio bivar

não sei se sou eu ou ele que não está nem aí

o pior é que atirou desmunhecando



descarregadores de cadáveres
homens, mulheres, crianças, velhos, cães e gatos maltrapilhos
aqui o cheiro das flores podres empesteia o ambiente

bagos no arame farpado arranco

fugindo do haroldo de campos



(Poemas de Marcos Prado e Edson de Vulcanis)

5 comentários:

Tiago Moreira disse...

Muito bom os poemas, instigantes, diretos.
Até+.

Ivan disse...

E olha que o Édson não perdeu sua boa forma:

vou deixar aqui uma frase favorita do "Maicon" Edson "Aranha" de Vulcanis:

essa mulher pode ser coxa-branca, mas tem um corpo Atlético...

africamente disse...

Um novo espaço de encontros e amizades , com videochat, mapas, blogs, albuns de fotos, videoteca, música e noticias sobre Africa! www.africamente.com

Wolf_o_Vermelho disse...

poemas muito bons! o/ me lembram mini-contos!

Valéria Prochmann disse...

Q saudade do Marcos! Bjks Beco querido!